terça-feira, 13 de abril de 2010

Um Ano


Parece que foi ontem. Nasceu como parte lúdica dentro de um longo tratamento contra a depressão. Foi assim que surgiu o acervo pop, no meio da tempestade. E ele foi andando, muitas vezes solitário - já que só recentemente foi que de fato decidi que já era hora de convidar mais olhares, opiniões, pensamentos, ou mesmo apenas visitas a este espaço na blogesfera. 

Do primeiro post (veja aqui) até hoje muita coisa ganhou forma, outras ideias desapareceram, mas o mais importante foi manter o acervo com carinho, amor e respeito. Sempre fui acusado de não conseguir terminar o que começava e, em alguns casos foi a mais pura verdade, pois foi aqui que percebi que isso importa mais quando produzimos conteúdo daquilo que amamos, acreditamos, lutamos. Aprendi também ser possível seguir em frente mesmo em meio a tormenta, ao desemprego, a dor que vez por outra aparece na alma. 

Agradeço a todos que por aqui circulam com ideias, questionamentos, críticas, palavras gentis, de incentivo, porque  o acervo pop sem a participação de vocês, não existiria, perderia qualquer sentido.

Deixo uma frase que continua a mover o meu espírito a cada alvorecer:

As Indagações

"A resposta certa, não importa nada: o essencial é que as perguntas estejam certas".

Mário Quintana

3 comentários:

daufen bach. disse...

Olá meu caro amigo!
que belo acervo tu tens! Parabéns a ti, muitíssimos Parabéns!

igual a ti eu também essa coisa de nao terminar o que começo... mas a questão nao é essa, as coisas é que andam devagar demais...rs e, sempre, acabamos por começar varias coisas ao mesmo tempo..rs para, entrar no ritmo monótono das realizações diárias.


abraço forte a ti.

daufen bach.

Lidce disse...

O acervopop nasceu no meio daquele turbilhão que estavam nossas vidas, idas e vindas pra Sampa, numa agonia desesperada por uma tomada de decisão...mas nasceu e cresceu e com ele você também. Parabéns!

Cacau Loureiro disse...

Olá Jonathas, muito carinhosa a tua visita, e concordo com o teu post, não importa as tempestades, estas pessoas que só puxam nosso entusiasmo para trás, o que importa é que podemos seguir apesar dos pesares e terminarmos os projetos quando de fato estão amadurecidos, assim que penso. Obrigada! Forte abraço, bj!