sábado, 28 de maio de 2016

Não Matarás


Eu apenas tentei fugir
Com meus irmãos
Empurrando eles em um carrinho
Sobrevivemos ao horror que nenhuma criança deveria presenciar
Pedir?
Não esqueçam o mau que o homem é capaz de cometer a seu semelhante,
Nunca deixe de sonhar com algo parecido com a paz...


Vitrola: Casita Nuestra | Take Me Down (Smashing Pumpkins Cover)

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Registro Raro


Reza a lenda que esse registro de Renato Russo e a sua Legião Urbana aconteceu durante a passagem de som da banda para o show em Volta Redonda no Rio de Janeiro em 1990, após uma chuva torrencial que quase ameaçou a realização do show. Então durante a passagem de som Renato decide fazer um agrado ao público que já estava por ali e não desistira apesar da chuva e manda a belíssima “A Whiter shade of Pale”...

Ficou legal e até então eu não conhecia esse registro.


Vitrola: Legião Urbana- A Whiter shade of Pale

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Sofia



Ele descobriu algo de novo: o amor. Aos treze anos pela primeira vez sentia aquilo que faz a vida valer a pena.

Como um passe de mágica experimentou o aroma da fragrância do Jasmim e, percebeu que era o mesmo que exalava no caminho para a casa de sua Julieta. Mas Julieta na verdade chamava-se Sofia e, era uma jovem vinda de outra cidade para passar as férias daquele verão.

Era um verão escaldante, sol a pino, temperaturas causticantes. Tudo corria como outrora até que numa bela tarde seus olhos conheceram aquela garota loira, de olhos levemente esverdeados, esguia, com sardas, extremamente charmosa, corpo desenhado e de lábios bem carnudos. Seria a bela da tarde de Buñuel?

Essa foi a primeira imagem de Sofia que ele congelou em sua retina.

Ele não sabia muito bem como dizer – ou se – era realmente necessário converter aquela sensação trepidante em palavras. Seria possível traduzir um sentimento avassalador?

Passou os primeiros dias travando um embate surdo consigo mesmo. Seu maior adversário: a sua própria timidez.

No fundo sabia que era correspondido, pois o olhar perdido e, o sorriso radiante de Sofia não disfarçava que ali entre ambos havia um desejo mútuo.

Passaram três semanas em uma casa de veraneio junto a uma multidão de jovens e adultos. Naquela atmosfera às vezes febril era certo encontrá-los próximos fosse brincando, jogando conversa fora ou, até mesmo brigando por pequenas tolices da idade. A provocação e a sedução eram recíprocas.

Acordavam cedo e logo estavam seguindo o trajeto entre a casa e a praia. Os dois transformavam aquele trivial instante em uma espécie de jornada, uma autêntica exploração sensorial.

Durante as noites na hora de dormir a luz que irradiava da rua, iluminava os olhos dos dois apaixonados. Em seus sonhos aquele era o momento perfeito, quem sabe ali o primeiro e eterno beijo de amor.

As férias terminaram e Sofia retornou para sua cidade. A distância motivava aquele romance velado não consumado (será mesmo?).

Foram cartas e mais cartas meses a fio – enquanto “a realidade mais delicada e mais difícil, menos visível a olho nu” batia à porta dos dois jovens enamorados.

Assim como uma tela de Cézanne perdida em algum sótão empoeirado e ordinário, onde sua beleza não podia ser apreciada, o tempo tratou de estancar aquela irresistível aventura.

Após anos sem noticias ele a reencontrou em uma viagem a sua cidade. Sofia estava casada e era mãe de três filhos.

Observou que a sua juventude continuava quase intacta, e por alguns instantes não hesitou em colocar-se no lugar do seu marido, mas preferiu guardar as boas recordações de uma década e meia atrás.

Sofia era a lembrança mais gratificante de um verão em sua juventude, talvez o melhor verão da sua vida.

Trilha Sonora
Artista: Elvis Costello
Música: She

sábado, 21 de maio de 2016

Vencendo o quê?


É assim que me sinto
Vencendo pequenas batalhas diárias
Porém, ciente que a derrota no final será inevitável...
Eu vejo olhares perdidos
Eu percebo os espasmos que as pessoas sentem
às seis da tarde dentro daquele vagão
indo para casa depois de um dia inteiro de anulação pessoal
de dizer sim para tantas coisas que na verdade desejariam soltar
um sonoro Não,
depois de tanta falta de respeito com à sua
maneira de acreditar nessa bosta de mundo...
todo mundo passando por cima da sua individualidade
de sua privacidade, de seus sentimentos e dignidade
tudo em nome do poder, do dinheiro, de egos e vaidades...

Eu olho e percebo que o desespero está ali
Tomando conta dos trilhos da esperança
Ou será do túnel da desesperança?

E eu quase posso tocar aquela dor
No semblante da moça que chora copiosamente
Sozinha no banco azul, 
e nem quem está ao lado lhe estende um lenço
ao menos algum consolo, mas nem isso...

Eu sei somos entorpecidos pelo papinho do trabalho
Da importância dessa merda toda em nossas vidas,
Mas quer saber, quando você estiver morrendo não irá
Sequer lembrar disso,
Lembrará de tudo o que realmente valeu a pena,
não do seu maldito trabalho..

Amor, gratidão, pessoas que lhe fizeram feliz, esse tipo de coisa
Que no trabalho todos finge não existir...


Vitrola: Kings of convenience - Winning a battle, losing the war

segunda-feira, 16 de maio de 2016

domingo, 15 de maio de 2016

Fim de Tarde


Alguma amargura e
Certa tristeza
Me afetam a alma diariamente
No final da tarde
Não sei dizer se é melancolia
Se é a poesia do entardecer
Ou a solidão da vida
De não poder com todas as palavras
Enredar tudo o que carrego aqui dentro
Naquela praia observo
O sol indo embora
A lua chegando e o céu escurecendo
Para que as estrelas possam brilhar
Enquanto não posso mais visualizar o mar
Apenas escuto
Sua força
Sua voz
Seu poder
Será assim também o amor?
Nada que eu possa falar
Fala por tudo o que eu sei...

Vitrola: Beto Guedes – Olhos de Jade


Pelas imagens que guardei na retina
Viverei para sempre
Morrerei um dia, eu sei
Mas carregarei o mundo
E a vontade de amar sempre
Para outras paragens...
Beto continue a cantar
O amor não precisa razão...
E a solidão disse adeus!

Vitrola: Beto Guedes – O Amor não Precisa Razão
                                                   




terça-feira, 10 de maio de 2016

Sonhando Acordado


Dreamers
They never learn
They never learn
Beyond the point
Of no return
Of no return
It's too late
The damage is done
The damage is done

This goes
Beyond me
Beyond you
The white room
By a window
Where the sun comes through
We are
Just happy to serve
Just happy to serve... You
What happen's now?
What happen's now?
What happen's now?

Continuarei sonhando…

Vitrola: Radiohead - Daydreaming


segunda-feira, 9 de maio de 2016

Tolices


Rosemary,

Veja como o mundo é tolo…

Aquele garoto acreditando no papinho daquele ancião,

Aquela adolescente chorando, pois foi traída pela namorada.

Rosemary,

Eu preciso confessar: ainda vejo o sol nascer,

mesmo quando estou triste.

Vitrola: Interpol – Evil


domingo, 8 de maio de 2016

Das Cinco às Sete


Houve um dia
Aconteceu uma vez
Sabe aquele encontro acidental
Daqueles que assistimos no cinema
Às vezes entregues e embasbacados
Noutras incrédulos e duros na queda:

-Isso é apenas poesia
-É arte somente
-é um charme discreto para tapiar a vida...

Sim existe esse dia
O do acaso
Desses encontros às cegas
Do romance trôpego
Irreal, sedutor
Do imprevisível amor
Do inevitável destino:

Ele avista ela
Seus olhos se cruzam pela primeira vez
Então ele atravessa a rua
E tudo acontece
A vida gera um novo milagre
Uma espécie de magia
Um ponto de partida

E ouvimos então a melodia de Mahler
Que nos enche de esperança
Marejando os olhos e a alma
Nos fazendo sonhar frente a grande tela
Desejando aquilo para a nossa
Tão miúda e frágil vida cotidiana

Sofrida
Sem fé
Sem paz
Sem graça...

Mas não, isso é o cinema
É a ilusão simbólica 
Uma hora tudo acaba
E a nossa vida recomeça de onde paramos

sem encontros das 5 às 7
sem emoções
sem o afeto
sem as palavras
sem vislumbres do céu

Mas sempre tem o porém
O real não dito
O olhar que não foi perdido
O pequeno gesto da criança
O sorrir sem medo
Mostrando os dentes
Desafiando essa vida sem filtros
Com a mesma gana
De quem
Só come uma vez no dia
pois é assim que prosseguimos carregando aquele olhar

Aquele encontro
Aquele acaso
Aquele amor
Pra sempre

Aqui dentro
No silêncio de uma madrugada
Antes que o sol desperte
E ascenda em nossos olhos
o próximo amanhecer.

Missing You 2



Como é difícil acreditar que esse cara partiu…

Um artista completo, genial, criativo. 

#Princeforever


Vitrola: Prince – Do Me, Baby (live)


sábado, 7 de maio de 2016

Aroma Londrino


Eu respirei agora pouco e juro que senti o cheiro de Londres…
Ilusão na noite paulistana.

Vitrola: The Jesus - Saturday Night (Suede Cover)


Missing You


Essa música era uma das favoritas da Solange, a minha irmã mais velha.

Eis Mr. John Waite cantando o seu maior sucesso ao lado de Alison Krauss, já valeu pelas eternas lembranças da adolescência.

Alguém aí foi feliz na adolescência? A pergunta é bem absurda e sarcástica, pois adolescente feliz é sinal de problemas no futuro... rsrsrsrs.

Vitrola: John Waite & Alison Krauss - Missing you