quinta-feira, 6 de maio de 2010

A Idade do Céu



Ontem eu fiquei por alguns minutos parado, estático, apenas observando o vai e vem das pessoas, vendo o que elas buscam e escondem na alma.

Eu vi os beijos dos adolescentes, a insegurança e a necessidade de auto-afirmação, tudo ao mesmo tempo agora, urgente.

Olhei a garota feia, ou, fora do dito padrão de beleza, escondendo-se atrás de um livro, atrás de um escudo protetor para o seu medo do desprezo, da não aceitação.

Dei risada dos garanhões em busca de mais uma presa... Conheço alguns meninos que já são homens, mas que jamais cresceram, continuam como outrora...Hoje uma, amanhã outra, e assim vai...

Eu avistei uma menina de cabelo azul e percebi em seu rosto um sorriso de satisfação, um olhar luminoso por se mostrar diferente de todos. Como é importante a personalidade em qualquer momento da vida, pensei com os meus botões.

Eu vi um homem chorando...
O desamor, a dor de um sentimento partido, o desespero da incompreensão, o pavor da solidão...

Praças modernas... Shoppings...
Um ótimo observatório!

Não deixei vestígios, ali calado, apenas espiando o ser humano, enquanto em meus ouvidos ouvia Jorge Drexler sussurrando:

Calma,
Tudo está calmo,
Deixa que o beijo dure,
Deixa que o tempo cure,
Deixa que a alma
Tenha a mesma idade
Que a idade do céu.

Trilha Sonora
Artista: Jorge Drexler
Música: La Edad del Cielo

4 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Obrigada, amigo. Já estou contigo. Se tivesses mais blogs, também estavas.
Adorei tudo aqui.
Bom Final de Semana pra ti,
Beijos
Renata

Ursula disse...

Jonathas...

gracias por tus palabras en mis letras!!! y por quedarte conmigo...!
En tu espacio... se respita dulzura y amor!!!!

hermosos días amigo querido!!!

beso!!!

me quedo en tu casa!!!

J. Araújo disse...

Jonathas, passei por aqui e achei muito interessante seu blog.

Com referencia ao texto, é verdade, quantas vezes paramos e ficamos observando o corre corre da vida moderna; cada um com seu estilo.

Vo`cê também já parou pra pensar, quantas vezes, enquanto estávamos observando, também podíamos esrarmos sendo observados? É a vida, é o ciclo, é assim que é>

Abraço

Everson Russo disse...

Otimo seu blog amigo,,,volterei com mais tempo...ja te sigo pra nao perder de vista,,,,abraços e uma bela tarde pra ti...obrigado pela visita...