sábado, 25 de dezembro de 2010

Poetas Velhos



Bom dia, poetas velhos.
Me deixem na boca
o gosto dos versos
mais fortes que não farei.

Dia vai vir que os saiba
tão bem que vos cite
como quem tê-los
um tanto feito também,
acredite.

Paulo Leminski

Trilha Sonora
Artista: Barão Vermelho
Música: Down em Mim

3 comentários:

Anônimo disse...

"poetas malditos"

por que sou maldito (marginal) por dentro e não expresso minha marginalidade por fora? por que não me afundo em vícios e levo uma vida tão politicamente correta? por que não morro não precocemente como os malditos? como o próprio leminski? por que ando tão pra baixo internamente e não vivo isso por fora? mas, aqui eu posso expressar essa inquietação e dá minha cara para bater. posso romper silêncios e me transformar em "presente". posso escrever e cantar de forma marginal...ando tão repleto de saudades e totalmente maldito.

vou revisitar "uma palavra solidão" (tudo nessa postagem sou eu!).

no mais, não acredito nesse "natal" fabricado pelos homens. assim, nem posso escrever "feliz natal". para mim, à meia-noite sempre é Natal! feliz meia-noite de todos os dias. postagens de todos dos dias. nascimento do Salvador revisitado todos os dias...

Anônimo disse...

"this time" sou eu!

Jonathas Nascimento disse...

This Time... Talvez a canção marginal de Brett... Tristonha e linda, maldita e serena.

E como já dizia outro poeta:

"Por que o tempo é mercúrio cromo/
E tempo é tudo que somos"...

e que a neve não derreta um coração tão ardente...