quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

The Man



Onde trabalho presencio diariamente o fascínio que a figura de Michael Jackson exerce sobre as pessoas. Não precisa ser nenhum especialista para tecer tal comentário, mas repito, impressiona a comoção persistente que Jackson ainda hoje, pouco mais de um ano após sua morte continua exercendo sobre as pessoas comuns.

Suas referências artísticas perambulam entre Fred Astaire e James Brown e a partir de então trilhou um caminho próprio. Michael deu seu grito de liberdade artístico em 1979 com o lançamento do seu álbum “Off The Wall” uma jóia de muitos quilates produzida pelo mago e amigo pessoal Quincy Jones.

O que se viu adiante foi um artista que abandonou a singeleza de suas raízes para dar vazão à megalomania bem característica do show business, mas é bom frisar: seu talento não conseguiu ser ofuscado pelos sucessivos escândalos em sua atormentada vida pessoal.

Então eu imagino que Jackson tenha sido genial na condução perfeccionista de sua arte, sem no entanto ter o mesmo êxito na administração de sua saúde e sanidade.

Trilha Sonora
Artista: Michael Jackson and Paul McCartney
Música: The Man

2 comentários:

Nick disse...

Véio, eu não sou adepto a música pop ou muito ligado ao som ocidental como já falei no primeiro comentário que fiz aqui, mas observo. Não vivi a geração do Michael, mas coincidentemente (minha vida tem sido uma sessão de coincidências ultimamente) conversei ontem mesmo com uma pessoa que viveu essa geração e ela tinha lido alguma coisa não sei onde, se no orkut, que Michael ainda estaria vivo (absurdo!) e que ele criou essa morte fake pra ficar em paz depois de tantos escândalos, essa pessoa falou que queria muito que isso fosse verdade, o que me fez pensar no impacto que esse cara teve e ainda tem no mundo da música mesmo depois de morto. Eu não sei se ele foi dominado por uma megalomania pela fama, sei de coisas de traumas da vida dele e eu acho que por causa de sua auto estima baixa, coisas vindas da infância que vc refletiu na postagem anterior a esta, me faz pensar que o dinheiro só fez com que ele alimentasse suas loucuras e foi enlouquecendo cada vez mais. É isso. Eu acho que ele pirou.

Jonathas Nascimento disse...

Nick,

Que ele pirou eu tb tenho certeza. Os traumas da infância nunca foram superados, e fica mais dificil quando vc tem um monte de bajuladores ao seu lado só querendo as migalhas do seu dinheiro... Eu tb vi essa história absurda de que ele estaria vivo...

Tá bom, ele, o Elvis, o Senna...

Cada um acredita no que pode!

Abraços,