quarta-feira, 9 de junho de 2010

UTI



Não é muito fácil ver o seu pai preso a um leito de UTI num hospital, aliás, não é nada fácil por si só adentrar em uma UTI para visitar seja lá quem for. Pesa sobre nós a clara noção da finitude, da qual sempre de algum modo tentamos driblar. Daí uma coisa puxa outra, e eu em minha aflição encontrei este grande artista...

Era uma vez um inglês chamado, Steven Demetre Georgiou, que depois virou, Yusuf Islam.
Para música pop sempre será lembrado pelo seu alter ego, Cat Stevens.

“Father and Son” é um lamento necessário sobre a diferença entre pais e filhos.
Por que será tão difícil às vezes dizer o que temos dentro de nós? Haverá um amanhã para dizer o que nunca foi dito?

But take your time,
think a lotI think of everything you've got
For you will still be here tomorrow
But your dreams may not

Lembrei de Stevens também graças a uma peça publicitária de um automóvel, e, com ela, me veio à lembrança de hoje quando antevi o caos que costumamos chamar de tempo.

O comercial termina com o slogan: “algumas coisas podem até mudar, mas lá no fundo são as mesmas”.

Trilha Sonora
Artista: Cat Stevens
Música: Father and Son

3 comentários:

Tais Luso disse...

Oi, Jonathas, a velhice é triste, é nossa última parada e não adianta fazermos muitos rodeios para tentar disfarçar; e só temos uma escolha: ou envelhecer ou morrer. Esta dos pais na UTI é tenebrosa, assustadora; já passei por isso, amigo. E é uma dor na alma tão grande que não há remédio. É esperar que a vida retorne em nós.

Minha última postagem falo disso, e li agora aqui, algo meio parecido.
Beijos
Tais Luso

Grasi disse...

Jonathas... assim vai me matar do coração! Cada vez que passo aqui fico mais apaixonada :)
Noooooossa... essa música é linda... até o Senador Eduardo Suplicy tentou cantá-la no plenário ano passado no dia dos pais, viu isso?! Apesar de não ter voz para isso,foi demais!!
Até hoje escuto Cat Stevens...
Bjão querido.

Lidce disse...

Você ainda consegue me surpreender com sua sensibilidade, por isso é tão difícil não te amar tanto.