quarta-feira, 5 de julho de 2017

Os Pássaros e os Gibbs



Barry Gibb deve ser um cara um pouco tristonho, por ter presenciado o desaparecimento precoce dos seus três irmãos: Robin, Maurice e Andy, todos talentosíssimos, uma família que partiu da Austrália para ganhar o mundo.

Olhando sua apresentação no famoso Festival Glastonbury deste ano, bate certa nostalgia evidentemente, porém não seria justo com o sobrevivente dos Gibbs - um dos falsetes mais bonitos e afinados da história da música popular - reconhecer sua carreira hoje por este prisma. 

Disse um pouco triste, pois Barry Gibb teve o privilégio de vivenciar todas as fases dos Bee Gees e consequentemente, é testemunha ocular da saga dos Gibbs, isso por si só, torna Barry alguém abençoado e muito feliz!

Como diria um pequeno trecho da canção “O Amor” de Caetano Veloso:

Ressuscita-me
Quero acabar de viver
O que me cabe
Minha vida...
  
Dito isso, só me resta derramar em letras...

Como é bela a vida, quando paramos para olhar os pássaros voando juntos em direção ao calor. 

Barry Gibb, uma voz que ainda nos emociona.


Barry Gibb - Stayin' Alive (Glastonbury 2017)

Nenhum comentário: