quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Uma Palavra: Solidão



Essa foi a minha primeira postagem neste blog. Adoro a canção, gosto do texto, por isso o repeteco.

Existem músicas que devoram a sua alma, corrompem os seus sentidos, e te fazem perder o rumo. A canção “This Time” da banda inglesa Suede, é um bom exemplo destes casos.

O Suede foi uma das mais bem articuladas bandas dos anos 90, revivendo os melhores dias do glam rock inglês da década de 70 e, de quebra, dando o pontapé incial ao Britpop.

Antes mesmo de Blur e Oasis atingirem o topo das paradas, a gênese criativa de Brett Andreson e Bernard Butler invadiu o cenário pop da juventude cosmopolita londrina durante os últimos anos do século XX. Fortemente influenciados pelo camaleão David Bowie, o Suede deixou para posteridade pelo menos dois grandes álbuns: Suede (Março de 1993, Nude Records) e, Dog Man Star (Outubro de 1994, Nude Records).

A sonoridade de “This Time”, gravada no álbum duplo Sci-Fi Lullabies (Nude 1997) - uma compilação de lados B registrada já sem o vigor dos riffs da guitarra de Bernard Butler - é cortante, uma balada movida por uma emoção delicada. O piano de Neil Codling é simplesmente comovente, se você estiver então em um dia ruim, nem ouça! As lágrimas certamente cairão como a chuva no meio de uma tempestade.

A doçura na voz límpida e sedutora de Brett Anderson é também responsável por esta menção honrosa a esta linda balada:

"Oh, Day after day, every morning/The city sighs and cars collide"

Canta Brett respaldado pelas singelas palavras que abrem uma constatação premente a nós jovens urbanos: o tempo se esvai quando não estamos com quem amamos.

Já pensou o que faz um jovem inglês aos domingos? Pois bem, por lá o sol não costuma dar as caras, e mesmo em um dia nublado um passeio por um dos belos parques da cidade de Londres certamente fica mais interessante e gostoso ao lado da pessoa amada. Mas e quando não se tem alguém para dividir esse passeio?

A canção destroça o que restou dos nossos corações no solo final da guitarra de Richard Oakes, machucando por entre a melodia tristonha, e pintando em nosso imaginário um dia nublado, chuvoso e marcado pela solidão e indiferença das grandes cidades urbanas.

Por fim, a canção descreve bem em verso, prosa e, melodia o que a ação do tempo produz sobre nós seres humanos.

Bem, o tempo...

Trilha Sonora
Artista: Suede
Música: This Time

5 comentários:

Lidce disse...

Você de fato adora essa música. De tanto ouvi-la até eu passei a gostar.

Bjos

Anônimo disse...

eu amo vc!

Jonathas Nascimento disse...

Não dá pra fingir que algumas palavras são bençãos em minha vida... Do que posso eu me queixar...

Amor..amor...Será que mereço tanto?

Anônimo disse...

mas, vc é a mais pura expressão do amor, da inquietação e busca pelo bem que o amor traz e da não conformidade com esse mundo.

vc exala, por todos os lados, o próprio amor.

nós é que devemos perguntar: merecemos esse amor?

Anônimo disse...

O Suede talvez venha ao Brasil este ano (2011). Tomara...