sábado, 27 de março de 2010

50 Anos



27 de março de 1960. Nascia no Rio de Janeiro, Renato Manfredini Júnior. Hoje, portanto se vivo fosse Renato Russo completaria 50 anos.

Pode ser apenas uma impressão particular, mas quando Renato cantava Índios transparecia uma certa raiva contida da vida. Renato era alguém machucado pela vida. Índios é uma canção densa em vários aspectos. Sua carga emocional/psicológica, histórica em certa medida, com certeza nada fácil de verbalizar. Já disseram um pouco de tudo a respeito do seu conteúdo.

Eu quis o perigo
E até sangrei sozinho

Esta estrofe seria uma citação autobiográfica acerca de uma das tentativas de suicídio de Renato. Mas, no entanto a que mais me fascina e comove é esta:

Quem me dera
Ao menos uma vez
Provar que quem tem mais
Do que precisa ter
Quase sempre se convence
Que não tem o bastante
Fala demais
Por não ter nada a dizer.

Uma síntese do trabalho autoral de Renato, do seu ponto de vista sobre a vida.

As canções aproximam pessoas. Recordo-me que “Índios” foi a porta de entrada para construir uma longa amizade. O hoje Padre Edilberto da Paróquia de Quixadá (CE) era então um aluno de graduação de História naqueles anos de consolidação democrática no Brasil. Certo dia o Edilberto viu no meu caderno um trecho da letra de Índios. “Isso é uma utopia do Renato Russo”, disse ele.

São lembranças que a gente carrega por uma vida inteira, e isso não tem preço.

Trilha Sonora
Artista: Legião Urbana
Música: Índios

4 comentários:

Juliana Pires disse...

Grande Renato Russo, ele faz muita falta na música brasileira.

Beijos

Anônimo disse...

É verdade Juliana...

Mari disse...

Oi Jonathas,
Concordo com você... não tem preço!
Gostei do seu espaço estarei por aqui!
bjs
Mari

Fernanda Matos disse...

Jonathas, amo essa música, muito diz da m inha adolescência!
Amei seu espaço... farei grnades viagens, beijos