sábado, 13 de maio de 2017

De Olhos Abertos


Helen adorava saborear o silêncio da madrugada. Notívaga por hábito e crença, naquela noite se pôs a folhear fotografias antigas de seu álbum de família.

Reviver, ou teimar em não olhar adiante?

Logo sobreveio uma sensação saudosista, nem mesmo a taça de vinho tinto à sua frente, pôde evitar as consequências desse passeio ao passado.

Quase cinco e quarenta da manhã, seu corpo parecia cansado pela dura prestação de contas e pedia apenas cama.

Deitou-se fechou os olhos e desejou sonhar. Dormiu no mesmo instante em que os primeiros raios solares despertavam a manhã de mais um dia. 


Helen Carr - I don't want to cry anymore

Nenhum comentário: