quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Boneca de Cera



Ele passava diariamente em frente aquela casa sem cor e, prendia o seu olhar a menina que o fitava por de trás da cortina na janela lateral do quarto de dormir.

Florisvaldo era tímido de nascença, molecote franzino, de traços afeiçoados e de olhar perdido. Não precisava de muito para corar feito uma tinta vermelha fresca, e aquela janela era o maior prazer de suas manhãs. Quem é ela? Será que eu pego?

Até o dia em que descobriu que flertava com uma boneca de cera, empalhada, de olhos vidrados na direção da rua por onde caminhava logo cedo a caminho da escola. Era uma boneca cega para os seus sentimentos de menino.

Sorriu de leve, não sabe se de alívio ou por piedade, mas só sei que ele sorriu a vida como ela é.

Trilha Sonora
Artista: Ira!
Música: Boneca de Cera

3 comentários:

Valéria Sorohan disse...

Que graça de história.
Ele se apaixonou foi pela silhueta independente de ser mulher ou boneca.

BeijooO*

Lidce disse...

Então era uma boneca...

Gostei!

Beijos

Vanessa Souza Moraes disse...

Meu blog mudou de endereço, o novo é:
http://vemcaluisa.blogspot.com/
:)